UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
"JÚLIO DE MESQUITA FILHO"
Reitoria
 
     
 
Jornal UNESP :::
Setembro/2008 – Ano XXII – nº 237   ::   Suplemento   ::   Encarte Eleição [Voltar]
 
:: ELEIÇÃO UNESP 2008 ::

Resumo do Plano de Gestão
Chapa Avanço Institucional

Para Reitor: Herman Jacobus Cornelis Voorwald Para Vice-reitor: Julio Cezar Durigan
(Rio Claro - SP, 24/04/1955)
Professor titular da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG) desde 1996, é vice-reitor desde 2005, membro do Conselho Superior da Fapesp e bolsista-produtividade nível 1C do CNPq. Foi assessor-chefe da Assessoria de Planejamento e Orçamento (2001-2003 e 2005-2008) e diretor da FEG (1992-1996). É engenheiro mecânico (Unesp, 1979), mestre (ITA, 1983) e doutor (Unicamp, 1988) em Engenharia Mecânica e pós-doutor pelo Laboratorium Soete Voor Weerstand Van Matterialen (Lastechniek, Bélgica, 1989). Orientou 12 doutorados, 29 mestrados e 30 iniciações científicas. É citado em 174 artigos.
(Taiúva - SP, 24/02/1954)
Professor titular da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Jaboticabal, desde 1997, é pró-reitor de Administração desde 2005. É engenheiro agrônomo (Faculdade de Medicina Veterinária e Agronomia de Jaboticabal, 1975), mestre em Produção Vegetal (Unesp, 1978) e doutor em Solos e Nutrição de Plantas (USP, 1983). Foi diretor da FCAV (1995-1999), coordenador de Ciências Agrárias da Fapesp (1989-1994), presidente da Sociedade Brasileira da Ciência de Plantas Daninhas (2003-2005) e vice-presidente da Asociación Latinoamericana de Malezas. Orientou 12 doutorados, 8 mestrados e 42 iniciações científicas.

O conhecimento de todas as unidades da Unesp, adquirido nos últimos anos, nos proporcionou uma visão clara de cada uma delas: a infra-estrutura instalada, as demandas legítimas, seus méritos e suas ambições acadêmicas. Este cenário projeta um futuro promissor e a necessidade da continuidade do avanço institucional alcançado na gestão atual, resultante de ações acadêmicas e administrativas fundamentadas na austeridade, no profissionalismo, na ética e na responsabilidade.
A Unesp que, unidos, queremos

• é a Universidade séria, crítica, produtiva, empreendedora e fiel aos seus valores e à sua história;

• é aquela que respeita as normas estatutárias, as decisões dos órgãos colegiados e as ponderações que emanam da coletividade;

• é capaz de criar um ambiente sadio de trabalho e de convivência coletiva;

• não é a Universidade silenciosa e contemplativa, mas aquela que pensa, fala, critica, debate, luta, se manifesta e se impõe no cenário acadêmico;

• sinaliza metas a serem cumpridas, busca a coesão interna e novos métodos de luta para superar os grandes desafios;

• agiliza os processos decisórios, com ações articuladas entre as unidades e a reitoria, na busca da máxima descentralização administrativa;

• está sempre na procura do melhor, do mais correto, do mais justo e na busca da inclusão social sem paternalismo ou humilhação;

• considera a excelência no trabalho acadêmico um dever de todos;

• é dinâmica, atualizada e inserida nos programas de pesquisa e inovação tecnológica do Estado e do País;

• é a Universidade de todos, pública, gratuita, democrática e de qualidade indiscutível;

• defende veementemente a autonomia universitária; e

• é aquela que estende as mãos a todos os professores, alunos e servidores e à sociedade, expressando sua integração com todos os segmentos e com a afirmação da cidadania.

Com base nessa visão, elaboramos nosso “Plano de Gestão Avanço Institucional 2009-2012”. A íntegra do documento está disponível na página oficial de nossa Chapa (http://unesp.br/eleicoes2008/hermandurigan), e algumas das diversas ações nele previstas estão apresentadas a seguir.

Graduação

• Consolidar a recomposição do corpo técnico-administrativo e docente.

• Valorizar o RDIDP como regime de trabalho preferencial e continuar os estudos para implantar novo plano de carreira docente.

• Aprofundar os estudos do subquadro docente para equilibrar e antever contratações necessárias e manter a qualidade dos cursos.

• Valorizar e revitalizar a docência com a implantação do Núcleo de Estudos e Práticas Pedagógicas.

• Intensificar as ações de capacitação dos professores das licenciaturas.

• Incentivar a articulação entre os cursos, de modo a propiciar o desenvolvimento de projetos pedagógicos institucionais de formação geral do cidadão e do profissional.

• Fortalecer e ampliar o programa de melhoria da infra-estrutura dos cursos (dos câmpus consolidados e experimentais).

• Consolidar os Conselhos de Curso como instância fundamental na organização didático-pedagógica dos cursos.

• Apoiar e fortalecer as atividades dos Núcleos de Ensino e as ações deles resultantes.

Pós-graduação

• Dar continuidade à política de incentivo para titulação de docentes que ainda não são doutores.

• Buscar a transdisciplinaridade pela ampliação das condições de maior integração entre programas de pós-graduação.

• Reforçar o papel do orientador na avaliação de atividades a serem realizadas pelos pós-graduandos.

• Proporcionar condições de infra-estrutura para a integração territorial dos câmpus e dos programas de pós-graduação.

• Estimular o credenciamento de todos os docentes com titulação mínima de doutor e boa produtividade em programas stricto sensu.

• Apoiar a participação dos docentes em congressos, ampliar o auxílio à versão de artigos e o financiamento da publicação em revistas internacionais indexadas.

• Estimular a publicação de artigos oriundos das teses e dissertações em revistas indexadas.

• Criar a Rede Unesp de Pós-Graduação para congregar seus programas e propiciar cooperações que permitam melhorar ainda mais sua avaliação junto à Capes.

• Aprimorar as condições de infra-estrutura técnica e de pessoal para tornar mais ágil o preenchimento do Coleta Capes.

• Criar uma rede de laboratórios com equipamentos multiusuários.

Pesquisa

• Aprimorar o programa de internacionalização da pesquisa.

• Atualizar o acervo bibliográfico e histórico, garantir a regularidade de periódicos e incentivar o uso da VPN (Virtual Private Network), sobretudo para a área de Humanidades.

• Ampliar a abrangência do programa de apoio às revistas científicas da Unesp por meio das seguintes ações: a) dotar o Conselho Editorial de Periódicos Científicos (CEPC/Unesp) da competência de análise prévia de novas revistas a serem criadas; b) aumentar recursos destinados ao programa; c) criar portal de revistas mais amplo do que o atual, com todos os títulos em formato eletrônico; e d) estabelecer condições para generalizar o uso do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (Seer) entre os editores.

• Aumentar a quota de contrapartida da Unesp nos programas institucionais de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibit) e Pibic Júnior.

• Fortalecer o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e estimular a identificação de conhecimento desenvolvido passível de proteção.

Extensão

• Dar continuidade aos programas de permanência estudantil de bolsas, reformas e expansões de moradias e de restaurantes universitários.

• Formalizar, nas estruturas curriculares, as atividades de extensão na formação dos estudantes e na prática docente.

• Aprimorar as atuais condições de trabalho dos cursos pré-vestibulares com o incentivo e a valorização da participação de alunos, docentes e voluntários.

• Ampliar o apoio a projetos permanentes de divulgação científica e estimular parcerias com prefeituras e fundações para criar mais centros de ciência.

• Incentivar a criação e a interligação física e virtual de centros de ciências, de documentação e museus.

• Continuar o apoio a apresentações de orquestra acadêmica e de outras atividades culturais.

• Fortalecer a atuação e a propositura de projetos que envolvam afro-descendentes (Nupe), a Terceira Idade (Unati), crianças e outros segmentos de menor inclusão.

• Motivar os servidores técnico-administrativos a participarem dos projetos de extensão.
• Incentivar docentes e alunos a propor e realizar novos projetos de extensão.

Administração

• Consolidar e dinamizar os planos: de cargos, salários e carreira dos servidores técnico-administrativos; de Acompanhamento do Desenvolvimento Profissional (ADP); Geral de Saúde e Segurança do Trabalhador (PGSST); Mais Unesp Saúde; e dos Centros de Convivência Infantil (CCIs).

• Manter e aperfeiçoar os programas: de Reposição de Funções Técnico-Administrativas e de Docentes; de Desenvolvimento de Novos Sistemas para a Informatização; Permanente de Treinamento dos Servidores Técnico-Administrativos; de Gerenciamento de Resíduos (PGR); de incentivo à compra de equipamentos de informática para os membros da comunidade unespiana; de Descentralização Administrativa dos Câmpus Experimentais; de Racionalização de Custos; de Utilização Racional de Energia (URE) e de água; e de Retomada do Pagamento dos Precatórios.

• Propor aos órgãos colegiados os programas: de revisão bianual dos parâmetros estabelecidos para o subquadro das funções técnico-administrativas; de Responsabilidade Ambiental e Social; de aquisição de equipamentos destinados ao ensino e à pesquisa (como o recente programa de aquisição de microscópios); de Administração Solidária; de Planejamento Global para a Unesp; e de Descentralização Administrativa e Orçamentária para as unidades universitárias.


 

 
  ACI