UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
"JÚLIO DE MESQUITA FILHO"
Reitoria
 
     
 
Jornal UNESP :::

Setembro/2008 – Ano XXII – nº 237   ::   Suplemento   ::   Encarte Eleição

 
:: DOCENTES ::

Zoologia
Besouros ganham nome de docente de Ilha Solteira
Estudioso norte-americano destaca pesquisador da Unesp ao descrever duas novas espécies

Carlos Alberto Hector Flechtmann, docente da Faculdade de Engenharia (FE), câmpus de Ilha Solteira, foi homenageado no livro Bark and ambrosia beetles of South America, publicado em 2007 pelo taxonomista Stephen L.Wood, docente aposentado da Brigham Young University, em Provo, Utah (EUA). Principal pesquisador de besouros das famílias Scolytidae e Platypodidae da América do Sul, Flechtmann agora dá nome a duas novas espécies de Scolytidae: Acanthotomicus flechtmanni e Hylocurus flechtmanni, citadas na obra.

“É realmente uma grande honra ter uma espécie animal atribuída à minha pessoa”, diz o docente do Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos e curador do Museu de Entomologia da FE. “Além disso, o intercâmbio e as boas relações com colegas do Exterior auxiliam a colocar a Unesp no mapa da comunidade científica internacional e trazem benefícios em vários aspectos.”

Flechtmann revela que, entre 1994 e 2006, encaminhou para Wood analisar muitos exemplares de Scolytidae e Platypodidae do museu da FE. Desse material, várias espécies eram novas para a ciência e foram descritas pelo pesquisador americano. Para o autor do livro, a homenagem se deve à relevante atuação de Flechtmann na área e à significativa contribuição à publicação. “Também auxiliei o pesquisador norte-americano a entrar em contato com outros museus brasileiros que tivessem exemplares de Scolytidae”, esclarece.

O livro – O trabalho produzido por Wood resulta de uma solicitação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, cujo objetivo era obter uma obra que condensasse todas as informações disponíveis sobre besouros sul-americanos daquelas famílias, que podem atacar árvores vivas e já cortadas. “Os EUA importam uma grande quantidade de madeira e nela se aloja uma série de espécies de insetos, muitas das quais com potencial para se tornar pragas sérias”, adverte.

Quando uma nova praga entra num país, o primeiro passo para um combate eficaz é saber seu nome científico. “Com o nome conhecido, pode-se consultar a literatura e rapidamente saber detalhes de sua biologia, ecologia e métodos de controle”, explica Flechtmann.

Informação:
Bark and ambrosia beetles of South America; (Brigham Young University Press; 2007; 900 págs.; US$ 85)
Onde comprar: nos EUA – Bean Life Science Museum;
e no câmpus de Ilha Solteira – flechtma@bio.feis.unesp.br
Tel.: (18) 3743-1257

Renato Coelho

 
  ACI