UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
"JÚLIO DE MESQUITA FILHO"
Reitoria
 
     
 
Jornal UNESP :::
Novembro/2007 – Ano XXI – nº 228   ::   Suplemento [Voltar]
 
:: GERAL ::

Matemática
Equipe produz materiais para ensino fundamental
Com recursos baratos, laboratórios atendem alunos e professores da rede pública de Guaratinguetá

Criar objetos feitos de materiais baratos, como um compasso montado com palitos de sorvete ou canudos plásticos, um pantógrafo com ripas de madeira e objetos geométricos com cartolina. Essa é uma das propostas desenvolvidas nos Laboratórios de Materiais Didático-Pedagógicos para Ensino-Aprendizagem da Matemática I e II, da Faculdade de Engenharia (FE), câmpus de Guaratinguetá.

Os laboratórios são o desdobramento do projeto Montagem e Manutenção de um Laboratório de Materiais Didático-Pedagógicos para Ensino-Aprendizagem da Matemática, coordenado pela professora Vera Lia Marcondes Criscuolo de Almeida, do Departamento de Matemática da FE.

O projeto, que integra o Programa Permanente de Divulgação da Ciência na UNESP, ou Ciência na UNESP, desenvolve atividades nas escolas públicas de ensino fundamental do município. Ele promove iniciativas como a participação de licenciandos da FE na Escola da Família (programa do governo do Estado que abre as escolas nos fins de semana), realização de estágios supervisionados e exposições orientadas dos materiais no hall das instituições de ensino. “Já atendemos a 303 pessoas pelo projeto, sendo 296 alunos e 7 professores de escolas da cidade”, conta Adriana Nascimento Figueira, estudante do curso de licenciatura em Matemática e bolsista do Ciência na UNESP.

Ela e a outra bolsista, Natália Coelho Soares, apresentam criações como, por exemplo, “A magia da Geometria”, em que expõem objetos
geométricos para crianças na pré-escola. A proposta é estimular as crianças a reconhecer, identificar e comparar esses objetos. Outros projetos desenvolvidos são “O cilindro feio”, para a 2a série do ensino fundamental; “Era uma vez a geometria” e “A arte de fazer origami”, voltados para a 5a série; e “Descobrindo os quadriláteros” e “Descobrindo os triângulos”, para 6a e 7a séries.

Os objetos são pensados e construídos em encontros entre estudantes de licenciatura em Matemática e professores da rede pública de ensino do município. Como resultado das reuniões, elaboram-se também manuais didático-pedagógicos sobre os materiais produzidos.

Daniel Patire


 
  ACI