Reitoria
 
diminuir fonteaumentar fonte
 
   
 
Agência Unesp de Inovação
voltar voltar imprimir imprimir enviar enviar corrigir corrigir
Matheus Bertanha
Linhagem de câncer de próstata metastático PC3 aderidas ao frasco de cultura em microscopia ótica: A. Controle; B. HBPM; C. HNF; D. Heparina modificada (D - diminuição na adesão celular)

Heparina para o controle de metástases cancerígenasTecnologia inibe a adesão e multiplicação de células de câncer

[02/02/2015] Pesquisadores da Unesp de Botucatu e de Araraquara desenvolveram droga que auxilia o processo de inibição celular. A heparina é um anticoagulante, medicamento que de maneira geral é utilizado no tratamento de doenças como embolia pulmonar, infarto do miocárdio e AVC. Seu uso normalmente não é associado ao controle do câncer. O Professor Dr. Matheus Bertanha, da Unesp de Botucatu, e sua equipe perceberam que a partir de algumas alterações nas moléculas de heparina ela poderia ser associada ao tratamento de metástases cancerígenas.

Apesar do uso de heparina não ser comum nesses casos, o Professor Bertanha explica: “Na literatura científica, há descrição de melhora no prognóstico para o tempo de vida dos pacientes portadores de câncer terminal que apresentam trombose venosa profunda e são tratados com heparina”.

Todos os estudos realizados até o momento foram experimentos in vitro, ou seja, realizados fora de sistemas vivos, e apontaram resultados satisfatórios. Esta pesquisa foi desenvolvida apenas em laboratório, por docentes da Unesp e está vinculada à disciplina de Cirurgia Vascular da Faculdade de Medicina (FM) da Unesp, ao Hemocentro da Faculdade de Medicina (FM) da Unesp de Botucatu , ao Instituto de Biociências (IB) de Botucatu - Unesp e à Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) de Araraquara - Unesp.

Além do professor Dr. Matheus Bertanha, estão envolvidos na pesquisa os professores Dr. Marcone Lima Sobreira da Disciplina de Cirurgia Vascular da Faculdade de Medicina (FM) – Câmpus Botucatu; a professora Dra. Elenice Deffune, do departamento de Urologia e Hemocentro da FM da Unesp – Câmpus Botucatu; o professor Dr. Sérgio Luis Felisbino do Instituto de Biociências (IB) da Unesp – Câmpus Botucatu e o professor Dr. Andrei Moroz do Departamento de Bioprocessos e Biotecnologia da FCF.

“Inúmeros outros testes devem ser realizados para sabermos qual será o potencial de uso clínico desse medicamento”, explica o Professor Bertanha. A pesquisa ainda está em fase inicial e o pedido de patente foi realizado pela Agência Unesp de Inovação. “Precisamos conseguir recursos e/ou parcerias para realizarmos todas as padronizações necessárias e assim, obtermos mais respostas quanto ao seu uso futuro”, completa Bertanha a respeito de suas expectativas e de sua equipe para o invento. Para mais informações: auin@unesp.br

Luciana Cavichioli/ AUIN

 

Notícias recentes

16/02/2018 - [Animal Health Innovation Latin America]

07/02/2018 - [Coloque sua startup na Plataforma de Lançamento do InovAtiva Brasil]

19/01/2018 - [Inova Talentos - IEL/CNPQ abre vagas para alunos bolsistas]