Guia de Profissões 2010
Guia de Profissões 2010
     
 
Cursos :::
Química Ambiental

Monitoração e controle de riscos de contaminação do meio

 

Os processos químicos que ocorrem no ambiente, sejam eles naturais ou causados pelo homem, são o objeto de estudo do químico ambiental. Basta parar um minuto e pensar no que isso representa para se ter uma ideia da abrangência de possibilidades de atuação para esse profissional. Ele tem pela frente um campo vasto e extremamente promissor.

Empresas, laboratórios de análise e órgãos governamentais que fazem o controle e a verificação dos parâmetros de poluição exigidos pela legislação são os locais de trabalho mais frequentes. Porém, indústrias químicas, de cosméticos, de alimentos, metalúrgicas, as agroindústrias, entre outras, vêm requisitando esses profissionais para a pesquisa e o desenvolvimento de métodos e produtos.

Entre suas funções estão a organização e a gestão de medidas de proteção ambiental, inspeção, controle e trabalho na conservação do ambiente e o estabelecimento de medidas corretivas necessárias para o cumprimento das normas estabelecidas pela legislação.

O curso de Química Ambiental gradua, assim, um bacharel em Química com ênfase em meio ambiente. Entretanto, como se trata de área interdisciplinar, o formado deve ter a capacidade de realizar análises química, físico-química, químico-biológica, bromatológica, toxicológica e legal e ainda estar apto a propor mudanças, de forma a reduzir a geração de resíduos químicos.
Este profissional, portanto, não só trabalha com monitoração ambiental, mas também se envolve na elucidação dos mecanismos que definem e controlam a concentração das substâncias químicas tóxicas, devido ao risco que elas representam ao meio ambiente.

Entre outras competências, o químico ambiental estará apto a realizar vistoria, perícia, avaliação, elaboração de pareceres, laudos e atestados. Pode também assumir responsabilidade técnica como direção, supervisão, programação, coordenação e orientação de empresa ou setor de empresa desde que não envolva produção em nível industrial.

Pode-se afirmar que a Química Ambiental empresta uma dimensão socioeconômica à Química convencional e permite o estabelecimento de parcerias com outras áreas do conhecimento, como Geologia, Biologia, Ecologia e Engenharia Ambiental.

na UNESP
Integração com várias áreas que lidam com meio ambiente

Oferecido pelo Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce) da UNESP, câmpus de São José do Rio Preto, o curso de bacharelado em Química Ambiental permite a integração dos estudantes com conteúdos de outros cursos que também lidam diretamente com recursos do meio ambiente, como Ciências Biológicas, Engenharia de Alimentos e Física Biológica.

Ao longo de quatro anos, os alunos podem fazer estágios em empresas e órgãos públicos dentro da área de atuação. Podem também desenvolver trabalhos de iniciação científica nos laboratórios de pesquisa do instituto ou de outras instituições de pesquisa. O aluno pode ainda realizar intercâmbios em instituições internacionais conve­niadas com a UNESP.

Nos dois primeiros anos do curso, são tratados temas básicos de Química, Física, Matemática, Computação e Biologia. As matérias específicas, com forte conteúdo em Química, como Química Orgânica, Química Inorgânica, Físico-Química, Química Analítica, Instrumental, Bioquímica, Solos, Água, Ecologia, Poluição Ambiental, Microbiologia, Resíduos Sólidos e Líquidos, Direito Ambiental, Emissões Gasosas e Toxicologia, são ministradas a partir do terceiro semestre. Nos dois últimos anos, o curso é conduzido especificamente com disciplinas sobre o meio ambiente, culminando com um trabalho de conclusão de curso.