UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
"JÚLIO DE MESQUITA FILHO"
Reitoria
 
     
 
Jornal UNESP :::

Outubro/2009– Ano XXII – nº 249   ::   Suplemento

 
:: GERAL::

Tecnologia
Barra Funda sedia maior rede de supercomputadores do País
Complexo que interliga sete câmpus tem capacidade de realizar 33,3 trilhões de cálculos por segundo

Entrou em funcionamento, em 25 de setembro, o GridUnesp, que será um marco no Brasil no uso da computação de alto desempenho e redes ópticas de longas distâncias para pesquisa. A rede integra 2.944 unidades de processamento, sendo 2.048 no núcleo principal, no câmpus da Barra Funda, em São Paulo.

Será de 33,3 teraflops (trilhões de cálculos por segundo) a capacidade teórica total do sistema formado pelo núcleo principal e sete polos de acesso, nos câmpus de Araraquara, Bauru, Botucatu, Ilha Solteira, Rio Claro, São José do Rio Preto e também na Capital.

O complexo dará acesso aos mais elevados níveis de capacidade de processamento e armazenamento de dados em campos como, por exemplo, sequenciamento genético e física de altas energias.

Investimentos – O projeto recebeu R$ 8 milhões, dos quais R$ 4,4 milhões da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e R$ 3,6 milhões da própria Unesp. Dos recursos da agência, R$ 3 milhões foram usados na aquisição dos oito conjuntos de processadores e R$ 1,35 milhão para a ampliação da rede de fibras ópticas KyaTera, que interliga centros de pesquisa do Estado. A KyaTera, concebida pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), se equipara ao que existe de mais avançado no mundo em desempenho de redes com tecnologia de transmissão óptica.

Os R$ 3,6 milhões da Reitoria foram aplicados na Barra Funda, na aquisição de equipamentos de apoio, como os de energia elétrica. “A implantação do Grid-Unesp é o passo decisivo para posicionar a universidade no patamar do compartilhamento de dados científicos em alto nível de desempenho computacional”, afirma o reitor Herman Jacobus Cornelis Voorwald.

O coordenador do GridUnesp, Sérgio Ferraz Novaes, professor do Instituto de Física Teórica (IFT), câmpus da Barra Funda, destaca que essa aquisição teve um custo inferior ao previsto, o que permitiu realizar outras despesas.

 
  ACI