UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
"JÚLIO DE MESQUITA FILHO"
Reitoria
 
     
 
Jornal UNESP :::
Janeiro-Fevereiro/2008 – Ano XXI – nº 230    ::   Suplemento [Voltar]
 
:: TECNOLOGIA ::

Design
Tese projeta veículo para cortador de cana
Proposta prevê coletivo com bom desempenho em vias não asfaltadas, comodidade e custos baixos

Um veículo para atender às necessidades de deslocamento dos cortadores de cana no Interior paulista está sendo desenvolvido pelo docente Osmar Vicente Rodrigues, do curso de Design da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac), câmpus de Bauru. O protótipo deverá ser apresentado no segundo semestre e pretende combinar transporte coletivo, comodidade, bom desempenho em vias não asfaltadas e baixo custo de aquisição e manutenção.

Para atender à lei federal nº 2.910, de 2000, que prevê o deslocamento dos trabalhadores rurais em veículos apropriados, os empresários adquirem ônibus, que são depois modificados, gerando um gasto adicional de até 20% do seu valor. Rodrigues prevê um modelo com preço competitivo, próximo ao que é desembolsado hoje nesse processo. “Esse é um mercado cuja frota possui aproximadamente 30 mil veículos somente para o corte da cana”, declara.

Em seu projeto, feito no Departamento de Design de Veículos do Royal College of Art, em Londres, Rodrigues considera diversos fatores de risco para a saúde que os transportes adaptados oferecem. A plataforma, por exemplo, que sustenta a estrutura do veículo receberá sistemas diferenciados de suspensão e chassi. Isso impedirá, de acordo com o pesquisador, que o veículo produza vibrações nocivas ao ouvido humano. “Os trabalhadores dos canaviais gastam em média 6% de todo o consumo calórico diário no trajeto de ida e volta ao campo, o que poderia ser evitado com transporte adequado”, comenta.

Outra mudança será a diminuição do peso do coletivo, causado, entre outros fatores, pela disposição irregular dos vidros laterais. “Quase 10% do peso da carroceria é referente às janelas”, explica. O modelo prevê, ainda, maior capacidade de manobra em locais estreitos, melhor condição de tráfego em dias de chuva e um compartimento próprio para as ferramentas de trabalho. Como o ônibus também é usado para guardar água e pertences, a parte interna deverá ser climatizada. O banheiro poderá ser utilizado durante a jornada de trabalho, substituindo os atuais banheiros químicos, instalados de maneira improvisada.

Cinthia Leone,
bolsista Fapesp


 
  ACI