Resumo


Professora Assistente Doutora do Departamento de Artes Cênicas (1997) e Professora do Programa de Pós-Graduação em Artes/ Artes Cênicas do Instituto de Artes da UNESP. Fonoaudióloga graduada na Escola Paulista de Medicina (1978), onde também obteve os títulos de Especialização em Fonoaudiologia (1980), Mestre (1989) e Doutor em Ciências da Saúde (2005). Especialista em Voz pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia. Pós-Doutorado no Programa de Estudos de Lingüística Aplicada da PUC-SP (2009). Líder do Grupo de Pesquisa Processos, poéticas e técnica vocal para o ator (2012). Coordenadora do Projeto de Extensão ArtInclusiva. Com atuação em Teatro e Cinema desde 1980, tem desenvolvido pesquisas em torno da técnica da voz cênica e seus desdobramentos na expressividade, e que resultaram na proposta ?Fisiologia da Expressividade?. Estágio no Department of Speech Communication and Voice Research, Univer. Tampere, Finlândia (2004). Estágio no National Center of Voice and Speech, Univer. Utah, USA (2010). Estágio no Laboratório de Voz da Escuela de Fonoaudiologia de la Univer. de Chile. Santiago, Chile (out. 2013). Revisora de periódicos nacionais e internacionais. Publicações e apresentações dos projetos de pesquisas em congressos nacionais e internacionais. (texto informado pelo autor)

Nome em citações bibliográficas: Master, S.;Master S;Suely Master;Master, Suely

Projetos

Projetos de pesquisa
2016 - Atual
Da técnica à expressividade: características acústicas das vozes de atrizes

Assim, o objetivo desse estudo, tendo em vista a criação de valores de referencias que façam a demarcação das diferenças e semelhanças entre a voz cênica e a voz de uso cotidiano e o interesse no processo de envelhecimento da voz, é comparar as vozes de atrizes com as vozes de não atrizes, em diferentes intensidades, por meio do programa de análise acústica computadorizada, mais especificamente, do programa Multidimensional Voice Protocol (MDVP) da Kay Pentax (r). O programa MDVP, que permite a quatificação do sinal sonoro, calcula diferentes medidas acústicas, das quais destacamos - as medidas de frequência: f0; f0 máxima (fhi); f0 mínima (flo); Desvio padrão da f0 (STD) - medidas de perturbação de frequência: Jitter absoluto (Jita); Jitter percentual (Jitt); Média relativa da perturbação (RAP); Quociente de perturbação do Pitch (PPQ); Coeficiente da variação da f0 (vf0) - medidas de perturbação de intensidade: Shimmer em dB (ShdB); Shimmer percentual (Shim); Quociente de perturbação da amplitude (APQ); Coeficiente de variação da amplitude (vAm) - medidas de ruído: Proporção ruído-harmônico (NHR); Índice de turbulência da voz (VTI); Índice de fonação suave (SPI) - medidas de quebra de voz: Grau de quebra da voz (DVB); Número de quebras vocais (NVB) - medidas de tremor vocal: Frequência de tremor da frequência (Fftr); Frequência de tremor da amplitude (Fatr) - medidas de segmentos subarmônicos: Grau dos componentes sub-harmônicos (DSH); Números de segmentos sub-harmônicos (NSH)

Situação: Em Andamento
2013 - 2013
Estudio aerodinamico, eletroglotgrafico y acustico en voz de actores e no actores

Objetivo. Avaliar a dinâmica respiratória envolvida na produção da voz projetada ou seja da voz do ator em cena e relacionar com medidas aerodinamicas e ac[usticas. Metodo. Gravação de 40 participantes divididos em 4 grupos de 10 atores, 10 não atores, 10 atrizes e 10 não atriz. Para obtenção das medidas eletroglotograficas e aerodinâmicas em intensidade habitual, forte e suave, serão usados três dos Protocolos disponíveis no hardware/software Phonatory Aerodinamic System (PAS): Emissão Sustentada e Confortável com Eletroglotograma (confortable sustained phonation with EGG), Eficiência Vocal com Eletroglotograma (voice efficiency with EGG) e Fala encadeada (running speech). No Protocolo Emissão Sustentada e Confortável com Eletroglotograma, as seguintes variáveis serão mensuradas: nível de pressão sonora médio durante a fala (dB), pitch médio (Hz); relação entre o nível de pressão sonora e o pitch; fluxo de ar expiratório médio durante a fonação (Lit/Sec); quociente médio da fase de fechamento das pregas vocais (%). As tarefas solicitadas aos participantes serão a emissão sustentada da vogal /a/, por três vezes para obtenção de valores médios, em intensidade habitual e forte. No Protocolo Eficiência Vocal com Eletroglotograma, as seguintes variáveis serão mensuradas: nível de pressão sonora médio durante a fala (dB), pitch médio (Hz); relação entre o nível de pressão sonora e o pitch; média dos picos máximos de pressão subglótica (cm H20), relação entre o nível de pressão sonora e a pressão subglótica; fluxo de ar expiratório médio (Lit/Sec); força aerodinâmica (Watts), resistência aerodinâmica (cm H20/(l/s), eficiência aerodinâmica (ppm) e o quociente médio da fase de fechamento das pregas vocais (%). A tarefa solicitada aos participantes será emissão sustentada das silabas /papapapapa/, por três vezes, em intensidade habitual e forte, para obtenção de valores médios. No Protocolo Fala encadeada, as seguintes variáveis serão mensuradas: nível de pressão sonora médio durante a fala (dB), pitch médio (Hz); relação entre o nível de pressão sonora e o pitch; fluxo de ar expiratório médio durante a fonação (Lit/Sec). A tarefa solicitada aos participantes será a leitura de um texto, durante 50 segundos, em intensidade habitual e forte. Para as medidas acústicas, a saber, relação entre os níveis de pressão sonora das regiões forte e fraca do espectro médio de longo termo e relação entre os níveis de pressão sonora das regiões da freqüência fundamental e primeiro formate do espectro médio de longo termo os participantes tornaram a gravar as mesmas tarefas, com exceção das silabas, em cabina a prova de som (Master, 2008, 2012 e 2013). Para analise estatística, os dados serão descritos e comparados e correlacionados entre si.

Situação: Finalizado
2012 - 2013
Comparison of Brazilian and Finnish listeners? evaluations of Brazilian actresses and non-actresses voices

Since language and culture may affect listeners? perception of voice quality, this study aims to compare Brazilian and Finnish listeners? evaluations of Brazilian text reading samples. These languages were compared since they clearly differ from each other in their speech sounds; for instance, it would have been difficult to rate the adequate amount of nasality for Finnish researches. Methods. Thirty actresses and thirty non-actresses will be included in this study. To be included in the study, participants have to be a native Brazilian Portuguese speaker in the age range of 18-50 years with no current or past history of voice disorder. The actresses? group have to have at least five years of theater acting experience along with at least one year of formal vocal training. The non-actress group can not be a professional voice user or have had any formal singing or speech training. Audio recordings of both groups are going to be taken during a reading task of a 200-word text (approximately 1.5 minutes in duration). All participants will read at their habitual loudness level. The participants are going to be recorded in an acoustically treated booth, with an ambient noise level below 30 dB. For the recording, a Marantz PMD-671 Solid State Recorder (Marantz, USA) and microphone headset AKH C420L (AKG, AUT), positioned at a distance of 8 cm from the mouth is going to be used. Voice samples from both actresses and non actresses will then be recorded on a CD, and perceptually assessed by five Brazilian and four Finnish voice experts using a 10 cm visual analogue scale where 0 = poor, and 10 = excellent. The perceptual variable ?Voice Quality? is defined as ?general perception of voice quality?. The order of recordings will be randomized. A total of 70 voice samples is going to be evaluated: 30 from actresses, 30 from non-actresses and 10 repeated samples in order to assess the intra-rater concordance. The blinded Brazilian raters are speech language patholo

Situação: Finalizado
2012 - 2013
Quasi-output cost ratio regarding actresses and nonactresses's voices.

Objectives Vocally trained actresses are expected to have more vocal economy than nonactresses. Therefore, we hypothesize that there will be differences in the electroglottogram-based voice economy parameter quasi-output cost ratio (QOCR) between actresses and nonactresses. This difference should remain across different levels of intensity. Methods A total of 30 actresses and 30 nonactresses were recruited for this study. Participants from both groups were required to sustain the vowels /a/, /i/, and /u/, in habitual, moderate, and high intensity levels. Acoustic variables such as sound pressure level (SPL), fundamental frequency (F0), and glottal contact quotient (CQ) were obtained. The QOCR was then calculated. Results There were no significant differences among the groups for QOCR. Positive correlations were observed for QOCR versus SPL and QOCR versus F0 in all intensity levels. Negative correlation was found between QOCR and CQ in all intensity levels. Considering the differences among intensity levels, from habitual to moderate and from moderate to loud, only the CQ did not differ significantly. The QOCR, SPL, and F0 presented significant differences throughout the different intensity levels. Conclusion The QOCR did not reflect the level of vocal training when comparing trained and nontrained female subjects in the present study. Both groups demonstrated more vocal economy in moderate and high intensity levels owing to more voice output without an increase in glottal adduction.

Situação: Finalizado
2010 - 2012
O efeito do aumento de intensidade da voz nas medidas acústicas de mulheres jovens e presbifonicas. Co-orientação de Dissertação de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva

A voz é produzida na laringe e amplificada no trato vocal. Essa produção depende em grande parte da ação da musculatura intrínseca da laringe que por sua vez é passível de treinamento por meio de atividades tais como o canto. Com o envelhecimento saudável a voz se torna fraca, soprosa, instável e com pouca projeção. Estas modificações da qualidade vocal estão relacionadas aos processos degenerativos de todo o organismo porém, quando interferem no processo de comunicação do indivíduo tornando-o funcionalmente mais dependente, vão se apresentar como uma patologia ? uma presbifonia. Diferenciar as mudanças que ocorrem na voz com o envelhecimento saudável das associadas às alterações ou patologias laríngeas tem sido de grande importância no campo da pesquisa em voz. Este estudo tem como objetivo identificar essas diferenças entre idosas coralistas e não coralistas, por meio da análise acústica computadorizada. A pesquisa será realizada com 60 idosas, sem queixas vocais com idade entre 60 e 80 anos. As idosas coralistas devem estar participando de um grupo de canto coral a pelo menos 5 anos. As idosas serão divididas em grupos de 30 coralistas e 30 não coralistas. As medidas avaliadas, em intensidade habitual e forte, serão o nível de pressão sonora, a freqüência fundamental e no espectro médio de longo termo a proporção alpha, a diferença L1-L0 e a amplitude de pontos de freqüência estabelecidos a cada 160 Hz.

Situação: Finalizado
2010 - 2012
A projeção vocal depende do que? Um estudo das vozes de atrizes brasileiras

Previous studies with LTAS showed the importance of the glottal source for understanding the projected voices of actresses. In this study, electroglottographic analysis (EGG) was used to investigate the contribution of the glottal source to the projected voice, comparing actresses and non actresses? voices, in different levels of intensity. Method. 30 actresses and 30 non-actresses sustained vowels in habitual, moderate and loud levels. The EGG variables were Closed (CQ), Closing (QCQ), Opening (QOQ) and Open Quotients (OQ). Other variables were Mean Sound Pressure level (Leq) and Speaking Fundamental Frequency (SFF). A KeyPentax Electroglottograph was used. Variables were inputed in a general linear model. Results/Discussion. Actresses showed significantly higher values for Leq, in all levels, and both groups increased Leq significantly while changing for habitual to moderate and further to loud. Only OQ showed significant differences between actresses and non-actresses, and only in loud level. For all other there were not significant differences between groups in all levels. There were significant differences between levels only for SFF and CQ for both groups. Conclusion. Leq was significantly higher among actresses in all levels, but in the EGG analysis, only the OQ of actresses? voices, in loud level, significantly increased when compared to non-actresses. This apparently weak contribution of the glottal source in the supposedly projected voices of actresses, contrary to previous LTAS studies, might be due to a perhaps greater importance of the vocal tract for Leq. However, further studies should use similar vocal emission tasks for both EGG and LTAS analysis.

Situação: Finalizado
2010 - 2011
Desarrollo del formante del cantante mediante un ejercicio de tracto vocal semi-ocluido

Introducción: El formante del cantante es un extra refuerzo de energía producido en el rango de los 2,4 a los 3,8 KHz. Si el vestíbulo laríngeo es menor que la faringe, en una proporción de 1:6, se forma un tubo de resonancia que es independiente del resto del tracto vocal, lo que estaría relacionado con la producción del formante del cantante. La relación 1:6 entre el tubo epilaríngeo y la faringe es factible de producirse cuando la postura laríngea es baja, de este modo es esperable que la aplicación de ejercicios que tengan como efecto el descenso laríngeo generen un incremento de energía en la región del formante del cantante. El objetivo de este trabajo es analizar el efecto de un ejercicio de tracto vocal semi-ocluído en la producción del Formante del cantante. Material y método: Se grabaron las voces de 8 cantantes. Se solicitó emitir la vocal /a/ en frecuencia media, realizar 3 series de un ejercicio de tracto vocal semi-ocluído y emitir nuevamente la vocal /a/ en la misma frecuencia. se analizaron los valores de frecuencia y energía de los primeros 5 picos del LTAS, el compactamiento de formantes; para ello se realizaron los siguientes cálculos: F4-F3, F5-F4 y F5-F3. Finalmente se calculó el pico mayor de la región de 0 a 2 KHz menos el pico mayor de la región de 2 a 4 KHz. Resultados: Se registró disminución de la frecuencia de los formantes, especialmente de F1, F4 y F5, incremento de las energías de los picos del LTAS, especialmente del tercer formante, mayor compactamiento de formantes. El cálculo del pico mayor 0-2 KHz menos el pico mayor 2-4 KHz fue menor en el post ejercicio. Conclusión: El ejercicio propuesto en este trabajo mostró efectos positivos en la producción del formante del cantante.

Situação: Finalizado
2010 - 2011
Vibrato em tres estilos latinoamericanos de canto popular: estudo preliminar

El vibrato es uno de los principales elementos que otorga calidad a la voz de un cantante. En el canto popular, las características del vibrato suelen variar de acuerdo al género musical Resulta de interés realizar estudios del vibrato en el canto popular tanto para obtener valores referenciales como para fines educativos. El objetivo de este trabajo es analizar las características acústicas del vibrato en 3 estilos de canto popular de Argentina, Brasil y Chile, en cantantes masculinos y determinar si presentan diferencias entre ellos. Material y método: Se analizaron las cintas comerciales de 8 cantantes masculinos, de tres estilos de música popular de tres países Sudamericanos: De Argentina ?Folklore?, de Brasil ?Sertanejo? y de Chile ?Cueca?. De cada ejemplo, fue seleccionada una nota media, donde el cantante produjera una emisión prolongada. En este estudio fueron analizados los valores de F0 y de 3 parámetros del vibrato: rate, extensión y vibrato jitter. Resultados: El rate fue mayor en la Cueca y menor en el Folklore. La extensión fue mayor en el Sertanejo y menor en la Cueca. El Jitter del vibrato fue menor en el Folklore. Si bien no se registraron diferencias significativas en ningún parámetro del vibrato, la extensión presentó valores cercanos al establecido como significativo (P= 0,0566). Conclusión: Las características acústicas del vibrato en los 3 estilos de canto popular estudiados, presentaron un vibrato rate de velocidad similar al canto occidental, extensión menor a otros estilos como la ópera y el Jazz y cierto grado de irregularidad.

Situação: Finalizado
2009 - 2011
Perceptual and Acoustic analysis of Brazilian actresses? voices

Purpose: The present study aimed to compare actresses? and non-actresses? voices through perceptual and acoustic analysis and also to determine possible correlations between variables. Special attention was given to the identification of the actor?s formant (AF). Method: Thirty actresses and thirty non-actresses participated as subjects. All participants were recorded reading at their habitual loudness level from a 200-word reading task. The acoustical variables obtained through the Longer Term Average Spectrum (LTAS) analysis included: (1) equivalent sound level (Leq), (2) speaking fundamental frequency (SFF), (3) alpha ratio, (4) level difference between the F1 and F0 regions (L1 - L0) and (5) energy level of 30 spectral points separated by 160 Hz. Voice samples from both groups were perceptually assessed by five external raters. A total of 70 voice samples were evaluated: 30 actresses, 30 non-actresses and 10 repeated samples in order to assess the intra-rater concordance. Perceptual variables were: (2) pitch, (2) vocal extension, (3) loudness, (4) sonority, (5) breathiness, (6) hyper and hypofunctional voice production, (7) articulation and (8) overall voice quality. Results: Actresses? voices were perceived to be lower, louder and more sonorous, with more vocal extention, better articulation, and better overall quality. There were no significant differences for hypofunction and breathiness. With the exception of SFF, which was significantly lower for actresses, no differences between groups were demonstrated for acoustic parameters. Furthermore, acoustic parameters did not correlate with perceptual variables. No evidence of the AF in actresses? spectrums was found. Conclusion: While Perceptual analysis depicted differences in voice quality between actresses and non-actresses, there were no differences between these groups demonstrated for acoustic variables, including no evidence of the AF in actresses? spectrums. Perceptual and acoustic parameter

Situação: Finalizado
2008 - 2011
Uma técnica vocal para o ator contemporâneo

O objetivo deste estudo é identificar a contribuição da vibração das pregas vocais para a projeção da voz das atrizes brasileiras quando comparadas as não atrizes, por meio da eletroglotografia, e com base nestes achados, redirecionar o trabalho de técnica vocal para o ator de teatro. Edital CNPq nº 03/2008. Seleção pública de projetos de pesquisa nas áreas de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas

Situação: Finalizado
2007 - 2009
A voz cênica de atrizes brasileiras: estratégias e técnicas de impostação

Estudos realizados com vozes de atores de diferentes nacionalidades evidenciaram na análise espectrográfica, um pico na região do quarto formante, o ?formante do ator?, que estaria relacionado com vozes perceptivamente avaliadas como sendo muito boas e projetadas. No entanto, algumas questões permanecem sem resposta entre elas, se existe ou não esse mesmo formante nas vozes de atrizes. O objetivo dessa investigação é comparar as vozes de atrizes e não atrizes por meio da análise acústica, verificar a existência do ?formante do ator? e/ou outras características acústicas que se relacionam às estratégias utilizadas para produzir a voz cênica. Participaram dessa pesquisa 30 atrizes e 30 não atrizes que leram um texto com 40 segundos de duração em loudness habitual e forte. Os programas usados para análise acústica foram o CSL 4500 da KayPentax e o Praat 5.1. As variáveis analisadas foram o nível de pressão sonora médio (NPS) e a freqüência fundamental média (F0) e, no espectro médio de longo termo (EMLT), a proporção alpha, a diferença L1 ? L0, a diferença entre o pico mais forte do espectro e o pico na região de 3.5 ? 5 kHz (FA), a freqüência do FA, e o NPS de cerca de 30 pontos de freqüência ao longo da faixa de 0 ? 5 kHz. Os resultados mostraram diferenças significativas entre grupos para F0, mais grave para atrizes tanto em habitual quanto em forte, e para a diferença L1-L0 em forte, quando atrizes apresentaram valores menores. Comparando-se os EMLT em ambas as loudness, não encontramos evidências de um ?formante do ator? no espectro de atrizes, nem diferenças significativas entre os NPS dos pontos de freqüência mensurados. Ainda, não houve diferenças significativas entre os grupos para o NPS médio em habitual e forte, o que de certa forma facilitou a comparação entre os espectros médios, nem para a proporção alpha. Assim, é provável que a projeção de voz para este grupo de atrizes, ao menos em loudness forte, seja caracterizada por um ajuste laríngeo onde a F0 mai

Situação: Finalizado
2006 - 2008
Parâmetros do LTAS que caracterizam o envelhecimento da voz.

Parameters of acoustic analysis and Long Term Average Spectrum, in women?s aged voice, in habitual e loud vocal effort Voice is a very important human function. As any biological function, it changes with age. Acoustic analysis studies of the average aged voice are scarce. The Long Term Average Spectrum (LTAS) has been widely used in acoustic analysis, in studies concerned with quality of voice. Few studies, however, involved aged people and discussed the aged voice. This study aims identifying acoustic parameters, in particular LTAS, of the voice of healthy elderly women, in habitual (H) and high (Hg) vocal efforts, and analyze age effects, by comparing these parameters with those of young women. The voice of 30 elderly and 30 young women, were recorded after reading a selected text in standing position, with the following parameters measured: sound pressure level (SPL), speech fundamental frequency (f0), LTAS´s alpha proportion, and the difference between the highest score in the spectrum, and the score at the 0 to 8 Hz range. Compared to young women, the elderly presented significantly lower values of SPL in Hg, and of f0 in both vocal efforts. In the LTAS, the values of alpha proportion were significantly lower among the elderly, showing greater curves inclinations, and lower amplitude values - frequencies between 0,48 to 4.6KHz and 6.7 to 8.0KHz in H, and 0,48 to 4.8KHz and 6.5 to 8.0KHz in Hg. An aged voice can be identified by the inability to increase SPL in HgL, lower values of f0 in both vocal efforts, and a greater inclination in the LTAS curve ? meaning a lower alpha proportion and amplitude values in the regions between the first and fourth formants - when compared to the young voice. LTAS appears as a reliable method to produce quantitative indicators of voice quality that are sensitive to age effects. Implications for research and clinical practice will be discussed.

Situação: Finalizado
2006 - 2007
O papel do quarto formante (F4) na qualidade vocal de atores e não atores

Esta pesquisa tem como objetivo comparar as vozes de atores e não atores por meio da análise acústica, com especial enfoque na contribuição da diferença entre as freqüências do terceiro e do quarto formante (F4 ? F3) para a qualidade de voz, procurando assim evidenciar as estratégias usadas na emissão da voz cênica. Participaram desta pesquisa 11 atores e 10 não atores masculinos. A partir da leitura de um texto em intensidade habitual e forte, foram selecionadas as vogais /a/, /i/ e /u/ para análise da estrutura formântica, especificamente a diferença entre as freqüências do terceiro e do quarto formantes (F4-F3) e a diferença entre as freqüências do quarto e do primeiro formantes (F4-F1) e ainda, a diferença entre os níveis de pressão sonora da região de 0-1kHz e 2-4 kHz (SPL 2-SPL 4) ou região do ?formante do ator?. O grau de projeção e de loudness foram perceptivamente avaliados por oito fonoaudiólogas especialistas em voz.

Situação: Finalizado
2003 - 2005
Analise acústica e perceptivo-auditiva da voz de atores masculinos

Situação: Finalizado
1997 - 1999
Saúde vocal na comunidade discente da UNESP - Instituto de Artes

Situação: Finalizado
1986 - 1989
Configurações do trato vocal na emissão das vogais nasais do portugues brasileiro

Situação: Finalizado
Projetos de extensão
2011 - 2011
A sonoplastia enquanto elemento da linguagem cênica: Audacity, software de produção de áudio. Curso de Extensão. 24h.

Enquanto processo criativo e possibilidade expressiva, a sonorização de um texto teatral ou de uma obra tece, com os outros elementos da cena, uma linguagem sutil onde os sons da fala, os ruídos e a musica são constantemente significados e re-significados. Neste contexto, o avanço da tecnologia trouxe os programas computadorizados de edição de áudio, que muito vem contribuindo para a expansão da sonoplastia. Entre esses programas destacam-se o Pro Tools e Audacity. Particularmente, nos cursos de Arte-Teatro e ainda, no mercado externo à Universidade, falta um maior entendimento técnico de como esses programas podem ser usados no desenvolvimento das mais diversas ambientações sonoras de obras artísticas.

Situação: Finalizado
2010 - Atual
ArtInclusiva

O Projeto de Extensão Universitária ArtInclusiva, juntamente com os alunos de Pós Graduação em Arte Terapia, desenvolve Oficinas Artísticas com a população especial, com o objetivo de facilitar o acesso à arte, o desenvolvimento humano e a transformação da realidade por meio do fazer artístico em diferentes linguagens. Com duração de 1 ano, as oficinas serão semanais, sempre às segundas feiras, de 14h às 16h, no Instituto de Artes.

Situação: Em Andamento
Outros projetos
2002 - 2005
Análise acústica e perceptiva da voz de atores: long-term average spectrum e o "formante do ator".

Situação: Finalizado

Produções

Produção Bibliográfica

Artigos completos publicados em periódicos (17)
  1. Master S; Marco Guzman; KELLY, A.. PERCEPTUAL AND ACOUSTIC ANALYSIS OF BRAZILIAN ACTRESSES? VOICES ANÁLISIS PERCEPTIVO Y ACÚSTICO DE LAS VOCES DE LAS ACTRICES BRASILEÑAS. Rev. digit. EOS Perú. Instituto Psicopedagógico EOS Perú, v. 4, p. 10 - 20, 2016.
  2. Master, Suely; GUZMAN, MARCO; Azocar MJ; MUNOZ, D.; BORTNEM, C.. How Do Laryngeal and Respiratory Functions Contribute to Differentiate Actors/Actresses and Untrained Voices?. Journal of Voice, v. 29, p. 333 - 345, 2015.
  3. BARBOSA, L. M.; Master S; CURTI, L.. VOZ E AUDIÇÃO: UM CONTÍNUO EXPRESSIVO. Repertório: Teatro & Dança (Online), v. 25, p. 129 - 134, 2015.
  4. ALVES DE ANDRADE, MANUEL FABRICIO; DE VASCONCELLOS, CLÁUDIA MARIA; Master, Suely. Sonoridades beckettianas: reflexões sobre a voz e a fala no teatro de Samuel Beckett. Urdimento (UDESC), v. 1, p. 63 - 76, 2014.
  5. MAZZETTO DE MENEZES, KEYLA S.; Master, Suely; GUZMAN, MARCO; BORTNEM, CORI; RAMOS, LUIZ ROBERTO. Diferencias de los parámetros acústicos y perceptuales de la voz entre sujetos ancianos y jóvenes con intensidad habitual y alta. Acta Otorrinolaringológica Española, v. 65, p. 76 - 84, 2014.
  6. FABRICIO, M.; VASCONCELLOS, C. M.; Suely Master. Conversa com o diretor Rubens Rusche sobre a dramaturgia de Samuel Beckett. Questão de Crítica, v. , p. , 2014.
  7. Master, Suely; GUZMAN, MARCO; DOWDALL, JAYME. Vocal Economy in Vocally Trained Actresses and Untrained Female Subjects. Journal of Voice, v. 27, p. 698 - 704, 2013.
  8. Master, Suely; GUZMAN, MARCO; CARLOS DE MIRANDA, HELDER; LLOYD, ADAM. Electroglottographic Analysis of Actresses and Nonactresses' Voices in Different Levels of Intensity. Journal of Voice, v. 27, p. 187 - 194, 2013.
  9. Master, S.; Madureira, S; BIASE, Noemi de. What about the actor's formant in actresses voices?. Journal of Voice, v. 26, p. 117 - 122, 2012.
  10. Silva, PT; Andreoni, S; PONTES, P.; Master, S.; Ramos, L. Acoustic and Long-Term Average Spectrum Measures to Detect Vocal Aging in Women. Journal of Voice, v. 25, p. 411 - 419, 2011.
  11. Master, S.; BIASE, Noemi de; CHIARI, Brasilia Maria; LAUKKANEN, A-M. Acoustic and Perceptual Analyses of Brazilian Male Actors' and Nonactors' Voices: Long-term Average Spectrum and the ?actor's formant?. Journal of Voice, v. 22, p. 146 - 154, 2008.
  12. Master, S.. Ciência no feitiço: técnica vocal e o ?formante do ator?. Sala Preta (USP), v. 7, p. 39 - 45, 2007.
  13. Master, S.; Biase NG; Pedrosa V; Chiari BM. O Espectro Médio de Longo Termo na Pesquisa e na Clínica Fonoaudiológica. Pró-Fono, v. , p. 111 - 120, 2006.
  14. BIASE, N de; Master, S.; PONTES, P.; BIASE, S de. Granuloma Posterior da Laringe - Evolução Após Injeção de Botox. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, v. 67, p. 557 - 561, 2001.
  15. Master, S.; BIASE, Noemi de. O uso do toque digital na laringe para avaliação e tratamento das disfonias. Fono Atual (São Paulo), v. 7, p. 39 - 41, 1999.
  16. Master, S.; BIASE, Noemi de. Laringe: avaliando os ciclos vibratórios. Fono Atual (São Paulo), v. 3, p. 39 - 44, 1997.
  17. Master, S.; PONTES, P.; BEHLAU, Mara. Configuração do trato vocal na emissão das vogais nasais do portugues brasileiro. Acta AWHO, v. 10, p. 67 - 71, 1991.
Capítulos de livros publicados (5)
  1. BIASE, Noemi de; FERREIRA, L. P.; Master, S.. Relacionamento médico - fonoaudiólogo no acompanhamento do paciente disfônico., p. 839 - 851, 2003.
  2. Master, S.; BIASE, Noemi de; CURCIO, D.; PONTES, A. A. L.. Fonação inspiratória e estroboscopia: recursos complementares no diagnóstico colaborativo., p. 247 - 254, 2001.
  3. BIASE, Noemi de; Master, S.. O valor diagnóstico da videoestroboscopia de laringe., p. 89 - 96, 2001.
  4. GAYOTTO, L. H.; Master, S.; CONCEIÇÃO, P.. Atualização fonoaudiológica no teatro: da leitura à partitura., p. 734 - 743, 1997.
  5. Master, S.; ALGODOAL, M. J.. Fonoaudiologia e Telemarketing: um futuro promissor., p. 183 - 196, 1995.
Textos em jornais de notícias/revistas (4)
  1. Master, S.. Pesquisa reprova a voz de atores masculinos. Folha de São Paulo . Caderno de Ciências e Tecnologia, São Paulo p. 0, 2010.
  2. Master, S.. As características da voz dos atores Análise acústica e auditiva busca entender e aperfeiçoar preparo vocal de artistas. Jornal da UNESP, São Paulo p. 0, 2007.
  3. Master, S.. A força da voz no atendimento ao cliente. Tele-serviços- Publicação da Associação Brasileira de telemarketing, São Paulo p. 9 - 11, 2004.
  4. Master, S.. Fonoaudiologia e telemarketing. Boletim Informativo da Associação Brasileira de Telemarketing, São Paulo p. 1 - 4, 1992.
Trabalhos completos publicados em anais de congressos (5)
  1. FRAGA, C. W.; Master S. Um estudo sobre a eficiência do método IVA no desenvolvimento vocal do ator. Memória ABRACE XVI - Anais do IX Congresso da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2017 v. 1, p. 565 - 585
  2. Master, S.. Avaliação da qualidade de voz de cantores líricos por meio do espectro médio de longo termo. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada. Memorias. Editorial F.I.V.C.H, Córdoba:Editor Luis Cecconello, 2011 p. 60 - 69
  3. Cecconello LA; Master S; MC, M.; Golub N. Vibrato en tres estilos de canto popular de países sudamericanos: un estudio piloto. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada. Memorias. Editorial F.I.V.C.H., Córdoba:Editor Luis Cecconello, 2011 p. 133 - 139
  4. Master, S.; Madureira, S. Análise perceptivo-auditiva de vozes de atrizes e não atrizes. Anais do I Congresso Iberoamericano de voz cantada e hablada, 2010 v. 1, p. 89 - 95
  5. Master, S.. A voz cênica de atrizes brasileiras: técnica e estratégias de projeção. Memória Abrace Digital, 2010
Resumos expandidos publicados em anais de congressos (5)
  1. BARBOSA, L. M.; Master S. Características de recursos expressivos aplicados por atores e atrizes no texto dramático. Resumos do Seminário de Pesquisas em Andamento PPGAC/USP, 2015 v. 3,
  2. MOREIRA, A.; Master S. Estudo sobre a vocalidade no espetáculo ?Recusa? da Cia Balagan. Resumos do Seminário de Pesquisas em Andamento PPGAC/USP, 2015 v. 3,
  3. Master S; CURTI, L.; BARBOSA, L. M.. Projeção Vocal: da técnica ao lúdico. Jornada de pesquisa em Artes PPG IA/UNESP 2015: Processos Criativos, 2015 p. 1239 - 1247
  4. Master S; BARBOSA, L. M.. Relações entre a percepção auditiva e a percepção da fala da atriz e do ator: uma práxis em construção. Anais do VIII Congresso da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2014
  5. Mello, EL; Master, S.; Master S; Andrada e Silva, MA. Avaliação postural de cantores liricos. Anais do XIV Encontro de Pesquisadores da PUCSP, 2011 v. 1, p. 1 - 1
Resumos publicados em anais de congressos (30)
  1. FABRICIO, M.; VASCONCELLOS, C. M.; Master S. Beckettian sonorities: vocal preparing in Samuel Beckett?s theatre. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, 2015 p. 78 - 78
  2. MIRANDA, H. C.; SOUZA, C.; Master S. Theatricality in frequency and intensity: analysis of the play ?Steps? of the Obragem Group of Theatre and Co. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, Firenze:Firenze University Press, 2015 p. 63 - 63
  3. BARBOSA, L. M.; Master S. Relation between hearing and speech perception of the actress and the actor: praxis under construction. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, Firenze:Firenze University Press, 2015 p. 209 - 209
  4. Master S; Kyian, Ana. Projeto ArtInclusiva. Anais do 8º Congresso de Extensão Universitária da UNESP, 2015
  5. CURTI, L.; BARBOSA, L. M.; Master S. Lessac em trilha luminosa no teatro: uma proposta pedagógica para projeção vocal. ANAIS CIENTÍFICOS 2015, 2015 p. 7975 - 7975
  6. BARBOSA, L. M.; Master S. Jogos teatrais: uma experiência auditiva.. Encontro do Grupo de Trabalho Pedagogia das Artes Cênicas 2015, 2015
  7. Master S; GUZMAN, M.; AZOCAR, M. J.; MUNOZ, D.; BORTNEM, C.. How do laryngeal and respiratory functions contribute to differentiate actors/actresses and untrained voices?. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, Firenze:Firenze University Press, 2015 p. 79 - 79
  8. BARBOSA, L. M.; Master S. Expressive resources characteristics used by actors and actresses in dramatic text. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, Firenze:Firenze University Press, 2015 p. 77 - 77
  9. NILSSON, T.; Master S; JARVINEN, K.; SYRJA, T.; Laukkanen, A-M. Comparison of voice quality evaluations conducted by Brazilian and Finnish listeners.. Pan European Voice Conference : Pevoc 11 Abstract Book : August 31 ? September 2, 2015, Firenze:Firenze University Press, 2015 p. 29 - 29
  10. Master S; GUZMAN, M.; ANDRADE, M. F. A.. Acoustic and Perceptual Analysis of Brazilian Actresses' Voices. 2013Abstracts, 2013 p. 194 - 194
  11. Master S; LLOYD, ADAM; MIRANDA, H. C.; GUZMAN, M.. Electroglottographic Analysis of Actresses and Non-Actresses voices in different levels of intensity. 42 Annual Symposium of the Voice Foundation - Abstracts, 2013 p. 83 - 83
  12. MAZZETTO DE MENEZES, KEYLA S.; GUZMAN, M.; Master S; RAMOS, L. R.. Differences in acoustic and perceptual vocal parameters between young and elderly women in habitual and loud intensity. 42 Annual Symposium of the Voice Foundation - Abstracts, 2013 p. 167 - 167
  13. Mello, EL; Andrada e Silva, MA; Master, S.. Postural assessment of sopranos during the interpretation of an opera aria. 41 Annual Symposium of the Voice Foundation, 2012 p. 140
  14. Cecconello LA; Golub N; Méndez AM; Master S. Desarrollo del formante del cantante mediante un ejercicio de tracto vocal semi-ocluido. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada.Memorias. Editorial F.I.V.C.H., Córdoba:Editor Luis Cecconello, 2011 p. 140 - 140
  15. Master, S.; Kyian, Ana. Projeto ArtInclusiva do Instituto de Artes da UNESP. 6º congresso de extensão universitária da unesp, 2011 p. 1011 - 1011
  16. Master, S.; Madureira, S. What about the actor´s formant in actresses´voices?. 39 Symposium Care of the professional voices, 2010
  17. Master, S.. Avanços tecnológicos e científicos no trabalho de voz com cantores. Anais do 18 Congresso Brasileiro de fonoaudiologia, 2010
  18. Silva, PT; Master, S.; PONTES, P.; Ramos, L. Acoustic and Long-term average spectrum measures to detect vocal aging in womem.. 39 Symposium Care of the Professional Voice, 2010
  19. Silva, PT; Master, S.; PONTES, P.; Ramos, L. Parametros do espectro medio de longo termo (LTAS) na presbifonia. Parametros do espectro medio de longo termo (LTAS) na presbifonia, 2008
  20. Master, S.; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de; Anne-Maria Laukkanen. Acoustic and perceptual analysis of Brazilian male actor´s voices: long-term average spectrum and the. 36 symposium of the Voice Foundation, 2007 v. 1, p. 4
  21. Master, S.; HERR, M.. How to improve vocal technique: the role of the F4 in the vocal quality of the actor. Programme & abstracts & PEVOC, 2007 v. 1, p. 26
  22. Master, S.; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de. Actor´s vocal technique: strategies to produce projected voice quality. Prograama e anais do 2nd Internacional Composium of IALP. São Paulo, 2007, 2007 v. 1, p. 127 - 128
  23. Master, S.; BIASE, Noemi de; CHIARI, Brasilia Maria; Laukkanen, A-M. Voz projetada de atores masculinos: um estudo de emissões de longo termo (LTAS). Revista Brasileira de Fonoaudiologia - suplemento especial, Sâo Paulo:Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 2006
  24. Master, S.; Ramos, L; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de. Voz projetada de atores masculinos: um estudo de emissões de longo termo (LTAS) com especial referência ao ?formante do ator?. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia - Suplemento Especial, São Paulo:Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 2005
  25. BIASE, Noemi de; SVICERO, M. A. F.; Master, S.. Estudo da qualidade vocal de cantoras líricas, nos períodos pré e pós-menstrual, por meio do espectro médio de longo termo. Anais do IV Congresso Triológico de Otorrinolaringologia, São Paulo:Winner Gráfica Editora, 2005 v. setout, p. 51 - 51
  26. Master, S.. A voz do ator. Revista da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia - suplemento especial, São Paulo:, 2003
  27. Master, S.. Avaliação fonoaudiológica do cantor: principais aspectos.. Anais 2001: II Congresso Triológico de Otorrinolaringologia, 2001
  28. Master, S.. Saúde Vocal na Comunidade Discente da UNESP. in. IX Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. São Paulo, 2001. Revista da Sociedade Brasileira de Laringologia, São Paulo:Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 2001
  29. Master, S.; BIASE, Noemi de; PONTES, A. A. L.. O melhor que vi e ouvi III. O melhor que vi e ouvi, São Paulo:, 2000
  30. Master, S.. Fonação inspiratória no diagnóstico de lesões laríngeas. Atualização em larínge, 2000
Apresentações de Trabalho (43)
  1. ANDRADE, M. F. A.; VASCONCELLOS, C. M.; Master S.Beckettian sonorities: vocal preparing in Samuel Beckett?s theatre. Itália. 2015
  2. BARBOSA, L. M.; Master S.Relation between hearing and speech perception of the actress and the actor: praxis under construction. Itália. 2015
  3. MIRANDA, H. C.; SOUZA, C.; Master S.Theatricality in frequency and intensity: analysis of the play ?Steps? of the Obragem Group of Theatre and Co. Italia. 2015
  4. BARBOSA, L. M.; Master S.Relações entre a percepção auditiva e a expressão oral no processo criativo de atores e atrizes. São Paulo. 2015
  5. Master S; Kyian, Ana.Projeto ArtInclusiva. São paulo. 2015
  6. Master S; GUZMAN, MARCO; AZOCAR, M. J.; MUNOZ, D.; BORTNEM, C..How do laryngeal and respiratory functions contribute to differentiate actors/actresses and untrained voices?. Itália. 2015
  7. BARBOSA, L. M.; Master S.Expressive resources characteristics used by actors and actresses in dramatic text. Itália. 2015
  8. NILSSON, T.; Master S; JARVINEN, K.; SYRJA, T.; LAUKKANEN, A-M.Comparison of voice quality evaluations conducted by Brazilian and Finnish listeners. Itália. 2015
  9. BARBOSA, L. M.; Master S.Relações entre a percepção auditiva e a percepção da fala da atriz e do ator: uma práxis em construção.. MInas Gerais. 2014
  10. Master S; Adam Lloyd; GUZMAN, MARCO; MIRANDA, H. C..Electroglottographic Analysis of Actresses and Non-Actresses Voices in different levels of intensity. EUA. 2013
  11. Mazzetto, KS; Master S; RAMOS, L. R.; Marco Guzman.Differences in acoustic and perceptual vocal parameters between young and elderly women in habitual and loud intensity. EUA. 2013
  12. Master S; GUZMAN, M.; ANDRADE, M. F. A..Acoustic and Perceptual Analysis of Brazilian Actresses' Voices. EUA. 2013
  13. Mello, EL; Master, S.; Andrada e Silva, MA.Postural assessment of sopranos during the interpretation of an opera aria. Pensilvania. 2012
  14. Mazzetto, KS; Master, S.; Ramos, L.The effect of increased intensity on acoustics vocal measures for young and elderly women. Pensilvania. 2012
  15. Mello, EL; Master, S.; Andrada e Silva, MA.Avaliação Postural de cantores liricos. XIV Encontro de Pesquisadores da PUCSP. Sao Paulo. 2011
  16. Cecconello LA; Master, S.; MC, M.; Mello MC; Golub N.Vibrato en tres estilos de canto popular de países sudamericanos: un estudio piloto. In: Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada.. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada. Córdoba. Argentina. Argentina. 2011
  17. Master, S.; Kyian, Ana.Projeto ArtInclusiva do Instituto de Artes da UNESP. 6º Congresso de Extensão Universitária da Unesp. Aguas de Lindoia. 2011
  18. Cecconello LA; Golub N; Master, S..Desarrollo del formante del cantante mediante un ejercicio de tracto vocal semi-ocluido. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada. Córdoba. Jornada Internacional de integración de profesionales de la voz cantada.. Argentina. 2011
  19. Master, S..Avaliação da qualidade de voz de cantores líricos por meio do espectro médio de longo termo. Jornada International de Integracion de Professionales de la Voz Cantada. Argentina. Argentina. 2011
  20. Master, S..A voz cênica de atrizes brasileiras: técnica e estratégias de projeção vocal. VI Congresso da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas - ABRACE. S. Paulo. 2010
  21. Silva, PT; Master, S.; PONTES, P.; Ramos, L.Acoustic and Long-term average spectrum measures to detect vocal aging in womem. The Voice Foundation 39th Annual Symposium. USA. Pensilvania. 2010
  22. Master, S.; Madureira, S.Análise perceptivo-auditiva da voz de atrizes e não atrizes. I Congresso Iberoamericano de voz cantada y hablada. Argentina. Argentina. 2010
  23. Master, S..Como utilizar avanços científicos e tecnológicos no trabalho com a voz profissional,. Paraná. 2010
  24. Master, S.; Madureira, S.What about the actor´s formant in actresses´voices? Voice Foundation 39th Annual Symposium. USA. Pensilvania. 2010
  25. Master, S..Desafios no trabalho com cantores com lesões benignas. 2009. (Encontro).. SP. 2009
  26. Silva, PT; Master, S.; PONTES, P.; Ramos, L.Parametros do espectro médio de longo termo (LTAS) na presbifonia. Sao Paulo. 2008
  27. Master, S.; Silva, PT.Oficina de voz para cantores líricos. São Paulo. 2008
  28. Master, S..Emergências Vocais. São Paulo. 2008
  29. Master, S.; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de.Actor´s vocal technique: strategies to produce projected voice quality. São Paulo. 2007
  30. Master, S.; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de; Anne-Maria Laukkanen.Acoustic and perceptual analysis of Brazilian male actor´s voices: long-term average spectrum and the "actor´s formant". Estados Unidos - Pennsylvania. 2007
  31. Master, S.; PONTES, P.; Ramos, L.Parameters of acoustic analysis and long term average spectrum, in women’s aged voice, in two vocal efforts. França. 2007
  32. Master, S.; HERR, M..How to improve vocal technique: the role of the F4 in the vocal quality of the actor. Holanda. 2007
  33. Master, S..Análise acústica e perceptivo-auditiva da voz de atores. São Paulo. 2007
  34. Master, S..Análise acústica e perceptivo-auditiva da voz de atores: long-term average spectrum e o. Brasil- Bahia. 2006
  35. Master, S.; CHIARI, Brasilia Maria; BIASE, Noemi de.Voz projetada de atores masculinos: um estudo de emissões de longo termo (LTAS) com especial referência ao formante do ator. Brasil - São Paulo. 2005
  36. BIASE, Noemi de; SVICERO, M. A. F.; Master, S..Estudo da qualidade vocal de cantoras líricas, nos períodos pré e pós-menstrual, por meio do espectro médio de longo termo. Brasil - São Paulo. 2005
  37. Master, S..Voz do Ator. Ceará. 2003
  38. Master, S.; Kyian, Ana.Projeto ArtInclusiva do Instituto de Artes da UNESP. Águas de Lindoia. 2001
  39. Master, S..Ator: técnica e expressão. SP. 2000
  40. Master, S..Técnica e expressão vocal. SP. 2000
  41. Master, S..Expressão vocal. SP. 1999
  42. Master, S..Atuação do fonoaudiólogo no teatro. SP. 1990
  43. Master, S..Fonoaudiologia e mercado de trabalho. SP. 1979
Outras produções bibliográficas (1)
  1. Respostas para perguntas frequentes na area de voz profissional. 2011.

Produção Técnica

Processo Técnica (13)
  1. Master, Suely. Parecerista. Poster/comunicação oral de trabalho de Iniciação Científica. 2014.
  2. Master S. Parecerista: Congresso de Iniciação cientifica do Instituto de Artes. 2014.
  3. Master S. Parecerista. Julgamento de Posters concorrentes a Premio do 42a. Symposium da The Voice Foundation. 2013.
  4. Master S. Parecerista: Comissão Especialistas em Extensão Universitária - PROEX. 2013.
  5. Master, S.. Parecerista. Relatórios de Atividades e Planos Globais dos docentes do DACEFC. 2012.
  6. Master, S.. Parecerista. Projetos de Extensão apresentados à CPEU - IA. 2012.
  7. Master, S.; Master S. Parecerista. Relatórios Anuais e Planos Globais dos professores do DACEFC. 2011.
  8. Master, S.; Master S. Parecerista. Projetos de Extensão apresentados à CPEU - IA. 2011.
  9. Master, S.; Master S. Parecerista. Relatórios Anuais e Planos Globais dos professores do DACEFC. 2010.
  10. Master, S.; Master S. Parecerista. Projetos de Extensão apresentados à CPEU - IA. 2010.
  11. Master, S.. Parecerista. Relatórios de Atividades e Planos Globais dos professores do DACEFC. 2009.
  12. Master, S.. Parecerista. Projetos de Extensão apresentados à CPEU - IA. 2009.
  13. Master, S.. Parecerista. Relatórios de Atividades e Planos Globais dos docentes do DACEFC. 2008.
Curso de curta duração ministrado (1)
  1. Master, S.. Oficina de voz e dicção para atores - (